Skate na Montanha com Alexandre Feliz

Essa, com certeza, você ainda não viu! O goFlow apresenta Alexandre Feliz e seu Extreme Freestyle.

Depois de anos em cima dos carrinhos e uma grave lesão no joelho, o carioca Alexandre Feliz encontrou uma maneira diferente de andar de skate, que mistura outras de suas paixões, como a escalada e o contato com a natureza. A partir daí, Feliz começou a procurar novos picos para explorar sua criatividade, que ia muito além de pistas, rampas, ladeiras e corrimãos. Acabou criando uma modalidade conhecida como Extreme Freestyle.

Em resumo, a brincadeira lhe permite andar em qualquer superfície, seja ela de pedra, areia, barro e, claro, o cimento e ainda se conectar com o flow de diversos cenários naturais…

image-1-58

É essa a Experiência que Alexandre Feliz traz para o goFlow e oferece para as pessoas que querem ao mesmo tempo dar um rolé de skate e conhecer picos como a Pedra da Gávea e as Ilhas Tijucas.

Conte um pouco sobre você (o que você quiser e o que você acha que ninguém sabe!)?

R: Ganhei meu primeiro skate com 3 anos de idade, mas na época não dei muita bola para ele e nunca mais o encontrei , eu curtia mais ficar escalando árvores e corredores. Foi com 8 anos que minha paixão pelo esporte realmente aflorou. Foi quando eu passei a andar com meus amigos e conheci o Freestyle, depois de ver um vídeo do Rodney Mullen. Aos 9,  ganhei meu segundo skate e aí não larguei mais, passei a focar no Street, mas já cheguei a praticar todas as modalidades do skate menos vertical e mega rampa.

Em 2005, quebrei meu joelho tentando uma manobra de patins e o médico na época disse que nunca mais conseguiria andar nos carrinhos. Mesmo antes do tempo certo para tirar o gesso, eu mesmo o arranquei e voltei a praticar, mas infelizmente meu joelho nunca mais foi o mesmo e, por isso, larguei o Street e voltei a focar no Freestyle!

Fiquei um pouco frustrado, pois não sentia que o role de solo do freestyle era o suficiente para mim. Eu queria mais e comecei a misturar a modalidade e explorar lugares diferentes, que inicialmente pareciam ser impossíveis de andar como terra, pedras e árvores.

No final de 2012, viajei com minha família ara Viña del Mar e conheci as Pedras de Reñaca, que mudaram completamente a minha vida e de onde surgiu o estalo de criar o Extreme Freestyle,  essa modalidade doida que se tornou meu vício e minha vida. De lá para cá, já andei em mais de 200 picos diferentes no Chile e no Brasil, entre eles terrenos como areia, terra, pedra, árvore, montanhas, prédios abandonados, muros, cercas, trilho de trem, montanha russa, água e cachoeiras.

Além do Extreme Freestyle, criei outras 26 manobras e continuo desenvolvendo novas possibilidades e novas manobras que você pode acompanhar através do goFlow ou do meu site e redes sociais.

Quem foi sua inspiração para começar a praticar seu esporte?


Minha inspiração inicial foi quando vi um vídeo do skatista Rodney Mullen fazendo manobras de pogo, mas depois que comecei o Extreme Freestyle minha maior inspiração passou a ser o ciclista Danny MacAskill (escocês praticante do MTB Freestyle – vídeo).

Quem foi seu maior influenciador ou mentor durante todos esses anos?

Nos últimos anos, foram meus amigos skatistas Lúcio Flávio, Guenter Mokulys e o meu amigo fotógrafo Pablo Koury, que foram os grandes responsáveis por me ajudar a melhorar meu estilo e técnicas.

Alexandre Feliz - no handed pogo judo - photo by Murilo Vargas

Quais são seus picos favoritos no Rio de Janeiro? Por que?

Tenho alguns: o Bico do Papagaio, porque tem pouco público, muitos animais silvestres e as melhore pedras no rio para praticar manobras escalando com segurança;

A Pedra da Gávea, porque tem tantas possibilidades para andar e manobrar  e onde, mesmo já tendo ido várias vezes, sempre chego com aquela sensação de um lugar novo;

A Pedra Bonita, porque é um lugar completo para o extreme freestyle tendo um pouco de casa estilo da modalidade e com a trilha mais tranquila da cidade;

A Pedra da Prainha, porque tem areia e as pedras molhadas e escorregadias de maior grau de dificuldade no rio e que sempre rende um role intenso e desafiador com direito a banho de mar no final;

A Joatinga e o Dois Irmãos, porque os foram os picos responsáveis pela minha paixão por precipícios.

E pelo mundo? Quais são seus picos favoritos?

Cerro Manquehue (Santiago, Chile), porque tem o pico arenoso mais divertido que já andei, foi como andar na areia da praia ao mesmo tempo por cima da cidade a 1600m de altura.

Piedras de Reñaca (Viña del Mar, Chile), porque foi onde senti pela primeira vez as possibilidades ilimitadas e decidi de fato criar o extreme freestyle. Possuo uma lista com mais de 100 picos que pretendo ir e que nunca fui com características únicas que com certeza estarão na minha lista de favoritos, como por exemplo a ilha Ball’s Pyramid na Austrália e a formação rochosa Trolltunga na Noruega.

 

Conte o que você quer oferecer em sua Experiência goFlow

Vou levar a pessoa para uma Experiência goFlow única na Pedra Bonita com a intenção de ensinar o Extreme Freestyle, passando as técnicas de segurança e a base de como atingir o equilíbrio e controle das manobras, passar a minha paixão pela natureza e ensinar o que se pode e o que não pode fazer na natureza.

Qual prancha (equipamentos) você utiliza? Recomenda para iniciantes?

Eu utilizo atualmente e recomendo para iniciantes o skate de freestyle da marca Sugar Free.

O que você mais gosta no Skate?

Tudo, principalmente as possibilidades ilimitadas de manobras que surgem a cada dia e as amizades que o skate proporciona que são para toda a vida.

Quais são seus outros hobbies ou paixões?

Além do skate, adoro escalar, nadar e videogames.

Um dica para antes e outra para depois da sua Sessão (alimentação, preparação etc)

Antes da sessão, recomendo ver a previsão do tempo, verificar se os parafusos do skate estão bem apertados, comer uma banana e beber bastante líquido de preferência água. Verificar se está levando tudo que vai precisar na mochila e avisar a alguém onde está indo. De preferência, vá sempre acompanhado.

Depois da sessão recomendo tomar um banho de mar, cachoeira, rio, piscina ou chuveiro e descansar pelo menos 15 minutos antes de fazer alguma coisa.

O que a experessão “Siga o Flow” quer dizer para você?

É estar conectado com a natureza, pois esse é o que eu sinto quando faço uma manobra difícil em um lugar impossível. Eu me sinto como se fizesse parte da montanha. Me sinto no Flow!

Descreva o Rio de Janeiro em, no máximo, 5 palavras.

Natureza, Montanha, Praia, Paraíso e Épico.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s